Tratamento Térmico

Serviços:

TÊMPERA, CEMENTAÇÃO, MARTÊMPERA, RECOZIMENTO, NORMALIZAÇÃO, REVENIMENTO, E ALÍVIO DE TENSÃO.

<”h4″ class="”pi-text-red”">CEMENTAÇÃO: Consiste na introdução de carbono na superfície do aço, de modo a que este, depois de convenientemente temperado, apresente uma superfície muito mais dura. É necessário que o aço, em contato com a substancia capaz de fornecer carbono, seja aquecido a uma temperatura em que a solução de carbono no ferro seja fácil.
Para isso, a temperatura deve ser superior à zona crítica (880ºC a 980ºC), onde o ferro se encontrará na forma alotrópica gama.

Consiste em um tratamento termo-químico que visa o endurecimento superficial de uma peça de aço, através da modificação parcial de sua composição química, ao mesmo tempo em que o núcleo do material permanece dútil e tenaz.


<”h4″ class="”pi-text-red”">TÊMPERA:

O objetivo da têmpera em banho de sais está na obtenção de uma microestrutura que proporcione ao aço propriedades elevadas de dureza e resistência mecânica. O processo consiste no aquecimento até a temperatura de austenitização, ou seja, entre 780°C e 980 °C. O controle da temperatura durante o aquecimento, nos fornos, é feito por controladores de temperatura.

Em seguida, o aço é submetido a um resfriamento rápido, provocando a obtenção de uma estrutura martensítica, sendo sempre recomendável que o aço temperado seja submetido ao revenimento.

Nossa empresa tem o compromisso de garantir serviços de tratamento térmico e acabamento superficial e produtos de alta qualidade, o que garante o conforto e segurança de nossos clientes, superando suas expectativas.


<”h4″ class="”pi-text-red”">MARTÊMPERA: Tratamento isotérmico composto de austenitização seguido de resfriamento brusco até temperatura ligeiramente acima da faixa de formação de martensita, visando equalizar a temperatura do material e resfriamento adequado até a temperatura ambiente.

A martêmpera é um tipo de tratamento térmico isotérmico indicado para aços ligados por que reduz o risco de empenamento das peças, visando a obtenção da martensita.

Ela consiste em aquecer o aço até a temperatura de austenitização, e então resfriar rapidamente(sem atingir a curva TTT do aço), chegando assim a temperatura de formação da martensita, é deixado isotérmico por um certo tempo, então resfriado ao ar, água, ou até mesmo banho de sal.

A martensita obtida apresenta-se uniforme e homogênea, diminuindo riscos e trincas. Após a martêmpera é necessário submeter a peça a revenimento.


<”h4″ class="”pi-text-red”">REVENIMENTO:

Aplicado nos aços temperados, imediatamente após a têmpera, a temperaturas inferiores a crítica, resultando em modificação da estrutura obtida na têmpera. A alteração estrutural que se verifica no aço temperado consequência do revenido melhora a ductilidade, reduzindo os valores de dureza e resistência à tração, ao mesmo tempo em que as tensões internas são aliviadas ou eliminadas. O revenimento e ar visa ganho de custo, pois o material revenido a ar é executado em fornos de circulação forçada sem nenhuma adição de nenhum gás, porém o mesmo gera uma superfície em casos de temperatura elevada com algumas agressões como: carepa, oxidação, azulamento, entre outras.


<”h4″ class="”pi-text-red”">NOMALIZAÇÃO:

Consiste no aquecimento do aço a uma temperatura acima da zona crítica, seguindo de resfriamento ao ar.

A normalização visa refinar a granulação grosseira de peças de aço fundido principalmente; frequentemente, e com o mesmo objetivo, a normalização é aplicada em peças depois de laminadas ou forjadas. O tratamento melhora também a uniformidade da microestrutura.


<”h4″ class="”pi-text-red”">RECOZIMENTO:

É o tratamento térmico realizado com o fim de alcançar um ou vários dos seguintes objetivos: remover tensões devidas aos tratamentos mecânicos a frio ou a quente, diminuir a dureza para melhorar a usinabilidade do aço, alterar as propriedades mecânicas como resistência, ductilidade, etc., modificar características elétricas e magnéticas, ajustar o tamanho de grão, regularizar a textura bruta de fusão, remover gases, produzir uma microestrutura definida, eliminar enfim os efeitos de quaisquer tratamentos térmicos ou mecânicos a que o aço tenha sido anteriormente submetido. Os processos de recozimento subdividem-se ainda em: processo de recozimento total ou pleno, recozimento isotérmico ou cíclico, coalescimento ou ainda recozimento para alívio de tensões.


<”h4″ class="”pi-text-red”">ALÍVIO DE TENSÃO:

Tratamento térmico que objetiva reduzir o nível de tensões residuais, principalmente após uma usinagem de grande retirada de material e soldagem, sendo executado sob atmosfera ao ar ou até mesmo sob atmosfera protetora de gás inerte objetivando o mínimo de agressão na superfície do material. Consiste no aquecimento do aço a temperaturas abaixo da zona critica, tendo como objetivo aliviar tensões originadas durante o processo de solidificação do aço ou até mesmo produzidas em operações de transformação mecânica a frio, como estampagem, ou em operações de endireitamento, corte a chama, soldagem ou usinagem.